segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Mais um ano de Acampamento Farroupilha: o Parque da Harmonia vai sofrer novamente.

Vista Panorâmica do Parque da Harmonia
Parque da Hamonia antes...

Falta praticamente um mês para o vinte de setembro, data comemorativa máxima do Rio Grande do Sul, e a construção da "disneylândia" gaudéria, em homenagem a data, está a mil por hora no Parque da Harmonia.

As estruturas do Acampamento Farroupilha já estão sendo montadas e começarão a ser retiradas somente uma semana após o dia 20 de se tetembro o que vai causar, com certeza, a depedração da vegetação do Parque e de sua fauna. Quer dizer, por quase dois meses ele ficará sobre o Parque. 

Comecei a participar da deste evento há quase vinte anos atrás como visitante e, posteriormente, como "acampado", quando eu participava da ONG Sentinela das Águas, que montava um piquete uma semana antes do desfile.

O Acampamento, como o nome já diz tudo, servia para que os integrantes dos movimentos tradicionalistas que vinham do interior para o desfile do 20 de setembro, pudessem se reunír e descançar para os festejos. Montavam-se barracas, se faziam churrascos, tovava-se chimarrão, uma boa cachaça, tudo isso contando "causos" e embalados ao som de violões e gaitas. No dia do desfile, já se levantava o acampamento antes do desfile e, depois, pé na estrada, cada um prá sua casa.

Mas hoje, o espírito do Acampamento Farroupilha mudou. A festa cresceu. Ao invés de barracas se constróem verdadeiros prédios (que muitos gostariam até de morar), bancos, empresas, comércio, fizeram da festa mais uma desculpa para faturar (é o capitalismo, é claro) e, paulatinamente, o espírito de congrassamento em torno de um ideal, se perdeu.
Parque da Harmonia depois de montada a estrutura (2009)

Não sou contrário a que de festeje o 20 de setembro, mesmo que esta data marque uma derrota dos Farrapos frente as tropas de Império, pondo fim a uma guerra fraticida que durou 10 anos. Mas pelo tamanho do evento, estes festejos, hoje, mereciam um local mais adequado, com infra-estrutura, para que não mais se agredisse o Parque da Harmonia, a sua flora e fauna.

No último sábado, qundo passei próximo do Parque, já deu prá ver que, este ano, a estrutura será maior ainda e mais danos ao meio ambiente acontecerão.

Então eu pergunto.

Onde estão os ambientalistas?

Onde está o espírito campeiro do gaúcho que preserva o meio ambiente?

PS. Mais a diante vou escrever sobre o mito dos Farrapos, da guerra e sua motivação e sobre o gaúcho.  

3 comentários:

Eugenio Hansen, OFS disse...

Paz e bem!

A ONG Sentinela das Águas tinha ligação com os técnicos de hidrologia do IPH/UFRGS? Ou estou confundindo?

Mario Rangel disse...

Isso ái Eugenio, eu sou Técnico em Hidrologia formado pelo IPH/UFRGS e formamos a ONG Sentinela das Águas. Iniciamos as limpezas das margens do Guaíba e que depois foi incorporada pelo DMLU.
Abraço.

Anônimo disse...

1 - A fauna/flora do local não corre risco de extinção e é encontrada em milhares de outros lugares do RS;
2 - Se uma parcela da população é ambientalista, outra é tradicionalista. Se o tal parque será castigado, outros 99,9% seguirão intactos. Assim, os parques não pertencem única e exclusivamente aos ambientalistas;
3 - O 20 de setembro deve ser comemorado, pois o RS era explorado e sabe-se lá como seria hoje se não tivéssemos nos revoltado. Morreram inocentes? Sim, mas inocentes morrem mais pela falta de hospitais, de comida, de péssimas condições de vida, etc., do que nas guerras. A pior guerra é aquela em que o poder central explora uma área, lembrando dela apenas para cobrar impostos. As conquistas da Revolução Farroupilha não foram pequenas e temos sim que ter orgulho de ter enfrentado todo o resto do Brasil de igual para igual, pois a guerra não durou 10 dias, nem 10 semanas, mas 10 anos.