segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Emissões caem pelo quarto ano consecutivo na União Europeia


Segundo a Acencia de Notícias France Press, a quantidade de gases causadores do efeito estufa emitida por 15 países da União Europeia caiu em 2008 pelo quarto ano consecutivo --1,3% em relação a 2007, indicou nesta segunda-feira (31) a Comissão Europeia, afirmando que o bloco está no caminho para cumprir os compromissos estabelecidos pelo Protocolo de Kyoto.


Leia aqui a matéria da Folha de São Paulo.


Deve-se receber como promissora esta notícia, mas também temos de perguntar se é suficiente esta redução, para ser significativa. Quem acompanha a evolução das tratativas sobre o tema das reduções de CO2 na atmosfera, sabe das dificuldades enfrentadas pelos governos, pois NINGUÉM quer abrir mão dos lucros obtidos pelas atividades industriais no modelo capitalista.


Veremos...

Acorda! Chegou a hora de salvar nosso futuro, e sua assinatura faz muita diferença.


Tic Tac Tic Tac.....



As mudanças climáticas estão colocando em perigo a vida na terra. Ainda é tempo de construir um mundo mais justo e sustentável. Mas o tempo está passando. Em dezembro, os líderes mundiais irão reunir-se em Copenhague para decidir sobre o nosso futuro.



Mobilizando um número suficiente de pessoas em todo o mundo, iremos encorajar os nossos dirigentes a tomar as ações necessárias. Adicione o seu nome à nossa lista para apoiar a chamada para um acordo global para salvar o nosso planeta de uma mudança climática catastrófica.


De 7 a 18 de dezembro de 2009, lideranças de todo o planeta estarão reunidas em Copenhague para firmar acordos mundiais sobre a grave ameaça das mudanças climáticas. É inquestionável que este problema já está em curso, com efeitos dramáticos e potencialmente catastróficos para todos nós.


Ainda é tempo de evitar o pior, mas é preciso agir imediatamente! A transição para uma economia de baixo carbono pode trazer grandes benefícios, mas isso depende de como agirmos agora.



Todos somos responsáveis pelo mundo em que vivemos. Não adinata somente reclamar. Temos de ser atores e não expectadores do que está acontecendo no mundo. Faça a sua parte:



Assine você também e faça parte da mudança:


sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Gás emitido pela agricultura ameaça camada de ozônio


Matéria da Folha de São Paulo, nos dá conta que a maior ameaça à camada de ozônio da Terra no século 21 é o gás hilariante. Conhecido oficialmente como óxido nitroso (N2O), esse gás produzido principalmente pela agricultura e pelas queimadas já ultrapassou os clorofluorcarbonos, os infames CFCs, como principal agente de destruição do ozônio.

O papel dos CFCs e do N2O na destruição do ozônio é conhecido desde meados da década de 1970, quando os químicos Mario Molina, Sherry Rowland e Paul Crutzen elucidaram a maneira como esses gases reagem com o ozônio na estratosfera. Mas ele só se tornou motivo de pânico global em 1985, quando pesquisadores britânicos descobriram um buraco sazonal na camada de ozônio sobre a Antártida.

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Ministério dos Transportes rejeita repasse dos contratos de pedágio gaúchos à União





Foi nas décadas de 60 e 70, durante o conhecido “milagre econômico brasileiro” que o governo ditatorial instalado no Brasil, para agradar os interesses das grandes montadoras e petrolíferas, inicia uma mudança no modal dos transportes no país. Durante anos, as ferrovias foram o principal meio de transporte, levando mercadorias e pessoas a todos os cantos do Brasil. Mas atualmente, a maior parte dos transportes terrestres está voltada para as rodovias. Caminhões, ônibus e automóveis percorrem as estradas, muitas delas, hoje em dia, pedageadas.

Além de se pagar impostos, para se ter um veículo automotivo e poder trafegar, temos de pagar caro para irmos de um lugar a outro. Só para de ter uma idéia, Cerca de 30% do custo do transporte de um contêiner, de Porto Alegre a Rio Grande, por caminhão, é composto pelas taxas de pedágio. Além disso, a BR-116, apesar de ser pedagiada, tem um asfalto de má qualidade e um acostamento sem nivelamento adequado.

A história da concessão de rodovias no Rio Grande do Sul iniciou com o ex-governador, Antônio Britto. Que, para dar viabilidade financeira aos consórcios interessados em ganhar dinheiro fácil, pediu ao Governo Federal, que na época tinha como presidente, Fernando Henrique Cardoso, que este, concedesse ao governo Estadual as estradas federais, viabilizando assim, um assalto ao povo do RS.

Hoje, passados quase quinze anos, o desgoverno Yeda (PSDB) queria, sobre o nome de “DuplicaRS” prorrogar os contratos e “dar” as concessionárias, UM BILHÃO de Reais, a título de um déficit gerado pela defasagem das tarifas. O Governo Federal, através do Ministério dos Transportes não avalizou a tramóia.

Então, numa atitude surpreendente, Yeda, tenta devolver ao Governo Federal estas estradas. Mas junto, esta suposta dívida de UM BILHÃO de Reais.

Feito, Yeda lava as mãos e se livra do pepino.

Mas... Nanininaá...

Hoje, dia 29/08/2009, (leia aqui) em resposta a ação da desgovernadora, o Ministério dos Transportes, recusa estas estradas. Pois, segundo carta encaminhada a Yeda, somente com o saneamento da dívida, as estradas podem ser transferidas para a União, pois em 1996, quando foram repassadas para o RS, “Tais trechos de rodovias foram delegados sem quaisquer pendências ou ônus para o Estado”.

Leia aqui, na integra, a carta que, com certeza, desancou Yeda:

.
Senhora governadora, Ao cumprimentá-la, acuso o recebimento o OF. GG/SG-42, de 19 de agosto do corrente ano, através do qual, Vossa Excelência encaminha "a via original do instrumento de ratificação do ato de denúncia dos convênios 09/96, 011/96, 012/96, 013/96, 014/96 e 015/96 firmados entre a União Federal e o Estado do RS", e faço as seguintes considerações:

1) em exame preliminar, o Ministério dos Transportes não identificou em documento encaminhado por Vossa Excelência razões que legitimem a denúncia pretendida, os convênios de delegação acima epigrafados.

2) como é sabido, a União, através do Ministério dos Transportes, em 1996, procedeu, por solicitação do Estado, a delegação de vários trechos de rodovias federais, com o objetivo de compor a modelagem do programa de concessões estadual. Tais trechos de rodovias foram delegados sem quaisquer pendências ou ônus para o Estado.

3) a potencial aceitação da devolução dos aludidos trechos de rodovias federais só poderá ser discutida após o saneamento prévio de eventuais passivos existentes em contratos de concessão, cuja responsabilidade, na forma do §1º da cláusula 12ª dos convênios, é do Estado, posto que gerados ao longo de mais de 10 anos de concessão e, até agora, não solucionados, conforma declarado no documento denominado "instrumento de ratificação do ato de denúncia dos convênios 09/96, 011/96, 012/96, 013/96, 014 e 015".

4) ademais, considerando que nosso modelo de concessão é distinto daquele implementado pelo Estado do RS, não interessa à União receber, por delegação, as rodovias estaduais incluídas nas concessões.

5) sobre o mérito do comunicado, isto é, a denúncia pretendida sobre as bases postas no documento anexado ao ofício de Vossa Excelência, já encaminhei às áreas técnicas competentes, bem assim a Consultoria Jurídica do Ministério dos Transportes, para exame e considerações que o caso requer, para, só então, responder no prazo previsto nos Convênios.

6) por fim, informo que tão logo as áreas técnicas e jurídicas deste Ministério, concluam o exame das causas apontadas pelo Estado para denúncia dos citados convênios, encaminharei o assunto a Vossa Excelência.

Atenciosamente,

Alfredo Nascimento

Ministro de Estado dos Transportes

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Pesquisa Data Folha: quem é responsável pelo desmatamento da Amazônia?




Um dos grandes problemas ambientais do Brasil, já muito discutido, mas nunca contido é, certamente, o desmatamento da Floresta Amazônica. Importante ecossistema, rico em biodiversidade, tido como regulador do clima mundial, é destruído dia após dia. A expansão da fronteira agrícola, onde, principalmente, a implantação das culturas de soja e da criação de gado, já fez sumir grandes extensões desta exuberante floresta.

Sem uma política efetiva para o desenvolvimento com baixo impacto (não falo desenvolvimento sustentável, por não acreditar que exista compatibilidade entre desenvolvimento e sustentabilidade), a Amazônia vai seguir sendo destruída.

Mas de quem é a culpa?

No meu entendimento, se existem culpados, somos todos nós, a sociedade. Para saciar a nossa fome de consumo, somos impelidos a buscar na natureza cada vez mais recursos, que serão transformados em produtos e consumidos por nós. Então, peso que existam isto sim, responsáveis.

Em uma recente pesquisa do Data Folha, demonstrou que, “sete em cada dez pessoas acredita que madeireiros e fazendeiros são os maiores responsáveis pelo desmatamento da Amazônia”. Os madeireiros apresentam imagem um pouco pior que os fazendeiros: 72% responsabilizam os madeireiros, e 68% os fazendeiros.

Já o “desempenho do presidente Lula em relação ao ambiente é ótimo ou bom para 47% dos entrevistados. Avaliaram sua atuação como ruim ou péssima outros 13%”.

Assim sendo, sem uma ação efetiva de fiscalização da ocupação da Amazônia, com punição exemplar dos responsáveis pelo desmatamento e uma conscientização para incentivar um consumo mais racional da população, a situação somente tende a se agravar. Segundo dados científicos aqui e aqui, mesmo que haja divergências sobre os números, o desmatamento das florestas tropicais, entre elas a Floresta Amazônica, é responsável por boa parte das emissões de CO2 na atmosfera (estimados entre oito e 20%), gás que é causador do agravamento do Efeito Estufa.

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Na consulta sobe o Pontal do Estaleiro, 80% disseram NÃO às residências.

Ontem, por volta das 16 horas, peguei minha Bike, e fui votar tranquilamente. Depois, fui para o bar do Marcelo, perto de onde votei, para assistir a vitória do Grêmio sobre o Atlético por 4x1 e, é claro, tomar uma cervejinha num domingo de sol.

O NÃO venceu.

Mesmo com a baixa presença (foi votar, penso eu, que toma para si a responsabilidade de decidir o futuro de Porto Alegre). Foram 18.212 que votaram no NÃO, para que o projeto tenha apenas áreas comerciais. A favor das residenciais, somente 4.362.

Quer dizer que 80% da população não querem a privatização da Orla do Guaíba.

A votação ocorreu das 9h às 17h em 330 urnas distribuídas em 89 locais. O total de votos válidos foi 22.574 (com 22.619 eleitores).

A consulta teve ainda 23 votos brancos e 22 nulos (bah! O cara sair de casa para anular e votar em branco, é dose).

Agora, daqui prá frente, inicia outra batalha: Não deixar que se construam os prédios comerciais, reservando a área para mais um parque, em seguimento aos outros dois, o Parque da Harmonia e o Marinha do Brasil.
A população tem direito a um ambiente saudável e lazer, está na Declaração dos Direitos Universais do Homem. Assim, precisamos de mais natureza, e não de mais prédios, mais concreto...

Quem puxou o gatilho que matou o sem terra Elton?


Fotos do ferimento que vitimou o sem terra Elton, morto PELAS COSTAS por um Brigadiano na desocupção da Fazenda Southall, em São Gabriel-RS, dia 21/08. Desculpem as fotos chocantes, mas é somente chocando que se pode evitar mais mortes.


Quem lembra lá dos idos tempos do governo Simon, deve recordar do confronto ocorrido frente ao Piratini entre o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra – MST e a Brigada Militar, que resultou na morte do Cabo Valdeci, há dezoito anos atrás, lembra do quanto foi discutido a época, do crime perpetrado, que ficou estigmatizado como degola.

Até hoje, inclusive quando o Coronel Mendes, estava à frente do comanto da Brigada Militar, este erigiu um “monumento” na Esquina Democrática, deixa bem claro como a sociedade vê o Movimento (aqui).

Mas pergunto quem puxou o gatilho que matou o sem terra Elton?

Penso que esta pergunta, deve ser respondida após uma profunda análise de como se comportam as elites oligárquicas gaudérias, sobre a demonização que é incutida no imaginário da sociedade com o objetivo único de desqualificar as suas reivindicações.

As matérias “jornalísticas” da Zero Hora (RBS), que via de regra sempre “mostraram” somente um lado, em matérias tendenciosas, onde o movimento é tratado como arruaceiro, vagabundo e até, bandido. Os “formadores” de opinião, seguindo a mesma linha, dia após dia, reverberando o que as oligarquias (que os financia), de que o movimento é radical e agressivo.

A “justiça” que de toda forma, dá ouvidos aos latifundiários, embargando desapropriações, e deixando frustrados os anseios do Movimento pela Reforma Agrária.

Os governantes que, omissos, deixam o problema se arrastar, muitas vezes servindo os desejos de quem os financia, é claro - a elite oligárquica rural e urbana. Coloco aqui, principalmente, o desgoverno Yeda (PSDB), que sempre tratou os movimentos sociais na “porrada”, principalmente os Sem Terra, fato que influenciou sobremaneira o comportamento agressivo da corporação.

E, vejam bem, até mesmo o Ministério Público Estadual que, em tese, deveria zelar pelos anseios do povo, criminalizou o movimento, de forma retrógrada e autoritária e é desta maneira, responsável pelo que aconteceu no dia 21/08, na Fazenda Southall.

A sociedade sul-rio-grandense também é culpada, por se deixar enganar por toda esta gente que, o que quer, é ter poder.

E pergunto mais, agora, o sem terra Elton, receberá também um monumento?

O poder de vida e de morte.

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Disparo de calibre 12 que matou sem terra teria partido de oficial da Brigada Militar

O ex-ouvidor agrário do governo estadual e também ex-ouvidor da Segurança Pública, Adão Paiani, afirma que o sem-terra Elton Brum da Silva foi morto pela Brigada Militar. Brum foi morto hoje com um tiro de espingarda calibre 12 no peito, durante desocupação da fazenda Southall, em São Gabriel, que estava invadida por militantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST).

Leia aqui e aqui

Sem terra é morto na fazenda Southall. Brigada diz que foi “mal súbito”. De chumbo, segundo hospital.

Integrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra cercados pela Brigada Militar durante a desocupação da Fazenda Southall, em São Gabriel - RS, aguardando serem conduzidos aos ônibous que os leverão... para onde mesmo?

O “novo jeito de governar”, slogan do “desgoverno” de Yeda Crusius (PSDB), faz vítima fatal durante a retirada de integrantes do MST – Movimento dos Trabalhadores Sem Terra, da Fazenda Southall. Estavam acampados na fazenda para pressionar o governo e a justiça, na liberação da área, já desapropriada, para assentamento de agricultores sem terra.

Nem o hospital, aonde Elton Brum da Silva, 44 anos, chegou sem vida, nem a Brigada Militar, fornecem informações sobre as circunstâncias da morte, em decorrência de um tiro no tórax.

Em nota, o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) lamenta com pesar o ocorrido e responsabiliza os governos e a Justiça. “Afinal, é de conhecimento público a truculência usada pela Brigada Militar nas ações de despejo. Mesmo assim, os poderes públicos optam por tratar as questões sociais, como a reforma agrária, como caso de polícia”.

Não é de hoje que a “valorosa”, como é chamada a Brigada Militar, a mando do “desgoverno” Yeda (PSDB), atua com violência, não somente contra os sem terra, mas contra TODOS os movimentos sociais. É um descalabro que não se tenha bom senso diante dessas situações. Fazem mais de oito meses que a Fazenda Southall, foi entregue para a reforma agrária e nada aconteceu quer dizer, a demora para proceder aos assentamentos, deu no que deu. Yeda (PSDB), em pronunciamento sobre a morte de Elton, exige apuração rigorosa sobre o ocorrido: “Não é uma notícia boa. A apuração deve ser feita com rigor e de maneira aberta”.

Veremos...

video

Veja um video sobre a ocupação da Fazenda Southall, em São Gabriel -RS.

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Chuva acima da média: "O menino" já está fazendo das suas?



Segundo matéria da Zero Hora (aqui), somente em Porto Alegre, até a manhã de ontem havia chovido 258,9 milímetros – 184% da média histórica e maior índice verificado em um mês de agosto desde 1987, quando a cidade anotou 278 milímetros. Se essa diferença for superada até o final do mês, o que é possível, os dados do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) apontam que o recorde seguinte a ser quebrado seria o do distante agosto de 1965, quando 330 milímetros de chuva desabaram sobre os porto-alegrenses.

Parece que, como previu a Agência Nacional Atmosférica dos Estados Unidos (NOAA), o El Niño já está fazendo das suas. Com quase o dobro de precipitação normal para o mês de agosto, as inundações já afetam as populações ribeirinhas da Região Metropolitana de Porto Alegre.

Os rios Caí, Gravataí, Sinos, Taquarí e Jacuí, que deságuam no Guaíba, estão com seus níveis bem acima do normal. O problema maior é a chuva nas cabeceiras (nascentes) destes rios, que faz com que, nos próximos dias, a situação da população possa piorar.
________________________________________________________
E o pior é que, quando se fala em população atingida, são os pobres os atingidos. Pois estes, não tem condições de adquirir um lote urbanizado, com infra-estrutura, em locais próprios para acentamendos humanos. Eles ocupam áreas inpróprias, como as encostas dos morros, fundos de vales, junto a rios e córregos, sujeitos aos efeitos das chuvas. Nas cidades, não há planejamento. E sem os investimentos necessário em infra-estrutura, saneamento e habitação, os problemas só tendem a aumentar.

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Pontal do Estaleiro: está na hora de decidir se a orla do Gauíba continua com a população.

O que esta gente quer é, cada vez mais dinheiro, lucro, poder...



O que eu acho que é mais importante na votação do próximo dia 23, domingo, sobre se, além de prédios comerciais, se podem construir prédios residenciais na área do extinto Estaleiro Só, é o fato de que, se aprovado, a sua construção, esta decisão servirá para outras áreas da orla do Guaíba, como por exemplo, o Bairro Ipanema.

Existe aí, uma grande “sacanagem”, pois as pessoas hão de pensar que a consulta popular se limita ao Pontal. Ledo engano. Na realidade o que Foga$$a, o prefeito virtual de Porto Alegre quer, é legitimar a ocupação de uma região com imenso potencial para expansão residencial, principalmente, devido as suas características paisagísticas, de alto padrão, para os endinheirados.

Existem três tendências nesta consulta:

O sim, que libera a construção de prédios residenciais, e que vai servir de pretexto para a expansão e especulação imobiliária na zona sul de Porto Alegre.

O NÃO, que ao contrário, restringe a prédios comerciais as construções no Pontal e, assim, restringe a ocupação da orla por empreendimentos residenciais.

Mas temos também o NÃO À CONSULTA, o boicote. Seus defensores entendem que a consulta, não passa de um engodo, e assim como eu penso, não passa de uma grande “sacanagem”, capitaneada pelo Alcaide de Porto Alegre, a bancada dos construtores da Câmara Municipal, a RBS (dona da Incorporadora e construtora Maiorjama) e outras empreendedores e investidores, para liberar e legitimar a construção de prédios na orla, independente de serem residenciais ou comerciais, não respeitado assim, a legislação ambiental que trata das áreas de proteção permanente na margem de corpos d’água.

O que querem é, cada vez mais lucros, mais poder, que é o motor do capitalismo.

Eu VOTO NÃO. Pois penso que, o boicote, mesmo sendo o mais coerente ambientalmente, não terá efeito prático e, deste modo, legitimaria o que esta gente pretende.

VOTE NÃO

Veja os locais de votação: AQUI









terça-feira, 18 de agosto de 2009

El Niño pode trazer seca ao nordeste e à Amazônia e inundações ao sul do Brasil

Na imagem acima, na costa do Peru, em vermelho, o aquecimento das águas do Pacífico.



As mudanças climáticas vêm causando prejuízos e diversos problemas à população pelo mundo. O cenário para o futuro é sombrio. Mais do que isso, no presente já temos provas do que a humanidade terá de enfrentar para sobreviver no nosso planeta.

Mas o pior é que, quem mais vai sofrer com os efeitos das mudanças climáticas e com o aquecimento global, são as populações mais desprotegidas – os mais pobres.

As mudanças climáticas, também intensificam fenômenos climáticos que já são conhecidos pelos povos a centenas de anos. É o caso do fenômeno do El Niño, que é o resultado do aquecimento anormal a temperatura da superfície do Oceano Pacífico, que provoca mudanças no regime de chuvas em, praticamente, todo o mundo.

Assim, segundo avaliação da agência nacional e atmosférica dos Estados Unidos (NOAA, na sigla em inglês), a chegada do fenômeno climático El Niño poderá provocar seca no nordeste brasileiro e na região amazônica e enchentes no sul do país entre o fim deste ano e o começo de 2010, Após registrar um aumento constante das temperaturas da superfície do Oceano Pacífico central nos últimos seis meses, a NOAA confirmou o início do El Niño.

Para muitos, a simples menção ao El Niño é um sinal de alarme. Há pouco mais de uma década, entre 1997 e 1998, ocorreu um dos mais fortes El Niño da história, com catástrofes climáticas que deixaram milhares de mortos.

Fica aqui a esperança de que este El Niño, não seja como o que ocorreu na década passada e nem como o que ocorreu em 2005, que levou à Amazônia, a maior seca de todos os tempos, que levou fome e morte, a humanos e animais da região.


Leia matéria completa da BBC aqui.

A vida veio de onde? Os investigadores da NASA fazem a primeira descoberta de vida fora da Terra.


Há muito tempo, a humanidade busca suas origens, mas, mesmo com todos os avanços tecnológicos, ainda não temos a certeza de onde viemos. Entre as hipóteses estudadas pelos cientistas, está a de que a vida veio de carona em asteróides e em cometas.
____________________________________________
A NASA (Agência Espacial Americana) divulgou (leia aqui) que seus cientistas descobriram glicina, elemento fundamental para a formação de vida, em amostras do cometa "Wild 2" trazidas à Terra pela sonda Stardust em 2006, revelou hoje o Laboratório de Propulsão a Jato (JPL).


"A glicina é um aminoácido usados pelos organismos vivos para produzir proteínas e esta é a primeira vez que é encontrada em um cometa", afirmou Jamie Elsila, do Centro de Vôos Espaciais da Nasa.


"A descoberta apoia a teoria de que alguns ingredientes da vida surgiram no espaço e chegaram à Terra através do impacto de meteoritos e cometas", acrescentou um comunicado do JPL.


Carl Pilcher, diretor do Instituto de Astrobiologia da Nasa, afirmou que a descoberta também respalda a hipótese de que os blocos básicos da vida abundam no espaço e que a vida no universo é mais comum do que se acredita.


Os resultados da investigação dos cientistas foram apresentados durante uma reunião realizada pela Sociedade Química dos Estados Unidos em Washington no fim de semana passado e serão publicados em breve pela revista "Meteorites and Planetary Science", disse o JPL.


A sonda Stardust atravessou uma densa nuvem e gases que rodeavam o núcleo de gelo do "Wild 2" em janeiro de 2004.


Desde o princípio as análises revelaram a presença de glicina nas amostras. No entanto, por esse ingrediente existir na vida terrestre acreditou-se que a malha estava contaminada.


"Era possível que a glicina achada tivesse se originado durante a manipulação ou fabricação da cápsula", explicou Elsila.


As novas investigações, porém, descartaram a possibilidade, após usarem a análise isotópica, acrescentou. EFE

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Ditadura transgênica: Muita grana rola por aí...


Como já postei anteriormente aqui, as grandes transnacionais tem pessoas infiltradas em todas as esferas da sociedade e do poder público. Dominam e impõem a sua lógica. No Judiciário, a monsanto conseguiu sustar a distribuição de uma cartilha sobre a agroecologia. Agora, no legislativo, a toque de caixa, querem tirar o direito do cidadão de escolher se quer ou não, consumir produtos originados pela transgenia.
Em audiência pública no dia 1º de julho na Câmara Federal, o deputado Luiz Carlos Heinze (PP-RS) fez uma defesa ao mesmo tempo apaixonada e saudosa da ditadura militar no Brasil. Segundo ele, vivemos hoje em outro tipo de regime, muito pior do que o dos militares. É o regime da "ditadura de certos órgãos de imprensa", disse Heinze, “que vendem para o mundo uma imagem errada do Brasil". A imagem correta, para ele, deve ser a de um país de alienados, onde a população não deve ser informada de nada e muito menos sobre o que come.
Esta criatura quer, com seu projeto de lei, retirar definitivamente dos produtos transgênicos, a rotulagem que os identifica. Quer dizer, assim como na Ditadura Militar, que ele exalta, quer impôr a Dotadura Transgênica, onde as pessoas são obrigadas a consumir um produto, sem saber se é ou não, fabricado com transgênicos.
Leia aqui a matéria completa sobre o que este ilustre desconhecido, daqui, do PP/RS, do estado mais politizado do Brasil.

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

População brasileira já passa de 190 milhões de almas.


A polulação brasileira cresce, já somos 191 milhões, veja aqui.
O Rio Grande do Sul tem hoje 10.914 mil habitantes.

Porto Alegre é hoje a décima primeira capital em população, com 1.436.123 habitantes.
Desde a última contagem, em 2008, pouco mais de 6 mil pessoas se agregaram a população da capital.
Ainda bem, a cidade agradece...

Manifestação contra a corrupção: empurra que a Yeda cai


Mesmo com o empenho da Brigada Militar em tumultuar a manifestação exigindo a saída da desgovernadora Yeda, chefe, do que o Ministério Público Federal classificou de, quadrilha que se apossou do Estado, esta está ocorrendo.

Já me manifestei inúmeras vezes sobre este tema e penso que, Yeda, nada mais é do que uma "testa de ferro" de um esquemão montado pela direita gaudéria, para aparelhar-se para se manter no poder.

O RS, desde a abertura, somente em duas ocasiões não esteve "na mão" dessa gente, foi co Collares e com Olívio. Nas outras ocasiões, o mesmo grupo de aviltadores ocupou o Piratini.

Que bom que agora, todas as falcatruas vieram à público, graças a Polícia Federal e o Ministério Público Federal, na Operação Rodin e na Operação Solidária. Esta última, mais um braço do esquema que lesou o Detran, em mais de 44 milhões de Reais.

Vivemos num Estado em que a desfaçatez e a dissimulação (cara de pau) são substitutas da ética e da moralidade.

O povo tem nas mãos a oportunidade de dar um basta nesta situação. Se a Mídia, o tão falado terceiro poder, se empenhasse nesta mudança, certamente seria realidade. Mas os poderosos assim não querem, pois se locupletam com a crise.

terça-feira, 11 de agosto de 2009

Chefe da ONU alerta para futuro terrível sem acordo climático


Será que, nós humanos, vamos ser extintos, com os dinossauros, da face da Terra? Será que a nossa pretensa racionalidade não irá conseguir evitar o cataclismo que se avizinha da humanidade, as mudanças climáticas? Será que os lideres mundiais, não vão chegar a um acordo sobre as emissões de CO2 na atmosfera? Será que os governos não vão dar um basta ao desmatamento e a destruição da biodiversidade?
.
São perguntas que, parecem, não têm resposta e, também, que estas respostas estão muito longe, talvez, longe demais:
.
Por Jon Herskovitz (Reuters)
SEUL - O fracasso em agir rapidamente para combater as mudanças climáticas pode provocar o aumento da violência e uma grande instabilidade no mundo, uma vez que os padrões climáticos globais mudam drasticamente, disse o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, nesta terça-feira.
.
"Se nós falharmos em agir, a mudança climática vai intensificar as secas, as enchentes e outros desastres naturais", disse Ban em um fórum próximo de Seul que acontece semanas antes de uma conferência do próprio secretário-geral sobre as mudanças climáticas, em setembro".
.
A falta de água vai afetar centenas de milhões de pessoas. A subnutrição vai tragar grandes partes do mundo em desenvolvimento. As tensões vão piorar. A instabilidade social -- incluindo a violência -- pode acontecer", afirmou Ban no evento em Incheon.
.
As emissões de gases causadores do efeito estufa são consideradas a principal causa para o aquecimento global. Os países vão se reunir em Copenhague em dezembro para trabalhar em um novo acordo climático global para reduzir as emissões que substituirá o Protocolo de Kyoto, que termina em 2012.
.
Ban, que considerou a mudança climática um tema fundamental para a humanidade, pediu que líderes mundiais atuem rapidamente para que um acordo possa ser alcançado em Copenhague.
.
Esta semana representantes de 180 países se reúnem em Bonn, Alemanha, para negociar sobre o clima, em meio às alertas de que o tempo está passando para que um acordo bastante completo seja concretizado até o fim do ano.
.
Temos visto o descompasso entre a economia e a ecologia. Como diz o geógrafo Henrique Leff, “o racionalismo econômico, é o responsável por todos os problemas ambientais. Enquanto não mudarmos este paradigma, estaremos fadados a sucumbir”.
.
Assim, temos de mudar urgentemente, mesmo que, como afirma James Lovelock, “a humanidade, nestes últimos 150 anos, já ultrapassou o “ponto de retorno’, e que Gaia (a Teoria de Gaia sustenta que a Terra é um organismo vivo) está doente”.

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Prepare-se para o Vestibular UFRGS 2010.


A Organização Não Governamental para a Educação Popular e o Pré Vestibular Popular promovem aula de História abordando a Guerra Fria e o Vestibular UFRGS 2010.
Será exibido o documentário Corações e Mentes, de Peter Davis, seguindo com aula sobre a Guerra Fria e a resolução de questões sobre o tema.
A aula acontece neste sábado, dia 15 de agosto, às 14 horas. Na Rua dos Andradas, 691 sala 11, e as inscrições são gratuitas e podem se feitas pelo site http//pvp.ongep.org ou pelo email contato@ongep.org, até o dia 14.

A Monsanto impede circulação de cartilha sobre agroecologia.


Uma cartilha produzida pelo Ministério da Agricultura sobre agroecologia teve sua distribuição impedida. A cartilha "O Olho do Consumidor", que conta com ilustrações de Ziraldo, foi lançada para divulgar a criação do "Selo do SISORG" (Sistema Brasileiro de Avaliação de Conformidade Orgânica) que pretende padronizar, identificar e valorizar produtos orgânicos, orientando o consumidor.


O livreto, que teve tiragem de 620 mil cópias, foi objeto de uma liminar de mandado de segurança, fruto de ação movida pela transnacional Monsanto, que impediu sua distribuição. Setores do Ministério ligados ao agronegócio também não ficaram contentes com as informações contidas na cartilha. O arquivo foi inclusive retirado do site do Ministério.


Esta ação demonstra a falta de compromisso deste tipo de corporação com a natureza e a população. Não é a primeira vez que esta transnacional da biogenética, apronta uma destas. Nos Estados Unidos, na decada de 90, a Monsanto, agiu diretamente sobre o Judiciário daquele País, em um processo movido contra a Monsanto, por danos ao meio ambiente, encabeçado por dois jornalistas da Fox.


Pode-se ver esta ação no documentário A Corporação, de 2003, (baixe aqui), não somente a respeito da Monsanto, mas também de outras empresas pelo mundo.
Agora só nos resta divulgar a cartilha na rede, baixe aqui e mande para seus amigos.

domingo, 9 de agosto de 2009

DIA 23 VOTE NÃO: NÃ DEIXE QIE PRIVATIZEM A ORLA DO GUAÍBA

Como já havia lembrado em um post anterior, no próximo dia 23, acontece a consulta popular sobre o Pontal do Estaleiro.

Conforme disse, eu voto NÃO.

Pois penso que Porto Alegre e, principalmente a orla do Guaíba, não preciam de mais construções, mais conceto. Penso que precisamos é de mais narureza, qualidade de vida.

O Movimento em Defesa da Orla do Rio Guaíba recebeu apoio da Casa de Cinema de Porto Alegre, que produziu um vídeo com depoimentos contra o projeto Pontal do Estaleiro, na Orla do Rio Guaíba.

O vídeo é uma campanha de chamamento para que a população de Porto Alegre, compareça as votações da Consulta Popular e defenda o Rio Guaíba como um local de todos.

Veja AQUI

E dia 23 d agosto, vote NÃO

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

O requém de um desgoverno: Yeda está sem saída (ou de saída)


Repercute em todo o Rio Grande do Sul e também no Brasil, a manifestação do Ministério Público Federal, que apresentou denúncia contra nove pessoas envolvidas com a corrupção investigada na Operação Rodin e Solidária da Polícia Federal que, entre os nove, está a desgovernadora Yeda.

Como sempre, seus ainda aliados, dizem que “não foram apresentadas as provas” que ainda estão sob sigilo de justiça.

Yeda está, como se diz, num “mato sem cachorro”, quer dizer, não sabe para onde ir. Pois já de cara, o PDT assinou o requerimento de CPI, que estava a tempos em compasso de espera e, mais tarde, o PMDB, também desembarcou da canoa furada que é o desgoverno da atual inquilina do Piratini, engrossando as assinaturas para a abertura da CPI na Assembléia.

O RS está parado.

Por conta de incontáveis escândalos, Yeda só repete o mesmo mantra: fizemos o déficit zero.

Realmente, ZERO em tudo.

ZERO em honestidade.

ZERO em saúde.

ZERO em segurança.

ZERO em educação

ZERO em competência

Mas com 44 milhões do Detran no bolso dela e dos seus comparsas e uma casa nova.

Consulta popular sobre o Pontal do Estaleiro: EU VOTO NÃO



Dia 23 de agosto, é dia de ir às urnas para a tal consulta popular que visa referendar a entrega da orla do Guaíba aos especuladores imobiliários, sempre ávidos por muito lucro. Sim, eu digo referendar, pois o Pontal do Estaleiro, como foi denominado o empreendimento imobiliário que será construído na área onde se localizava o extinto Estaleiro Só, já são favas contadas.


O que realmente interessa agora é legitimar a expansão destes mega empreendimentos, destinados aos abonados, para outras regiões de Porto Alegre. Todas na zona sul da capital, como, principalmente, no Bairro de Ipanema.

Se a população, desavisada, votar no sim, estará dando o aval para que se povoe a orla com incontáveis espigões, onde somente irão habitar quem puder pagar, pelo menos, meio milhão de reais para mais.


Assim, estamos diante de uma grande jogada arquitetada pelo executivo e as empreiteiras e construtoras, para a expansão dos condomínios de luxo a beira do Lago Guaíba.

Não vou agora aqui, dizer de todos os prejuízos que a construção deste empreendimento vai causar aquela região e seu entorno. Isso já é sabido.


Mas nós não podemos deixar que isto aconteça. As futuras gerações têm direito a, pelo menos, poder chegar perto do Guaíba e, melhor, desfrutar de sua bela paisagem e seu pôr-do-sol ímpar.

EU VOTO NÃO


Veja aqui os locais de votação da consulta popular.

terça-feira, 4 de agosto de 2009

Um novo retorno: por motivos profissionais fiquei sem escrever

A todos que aqui estiveram nos últimos meses e nada de novo encontraram, peço mil desculpas.

Tive de me afastar e, sempre que ia escrever, não dava. E assim foi indo...

Mas chega de "vagabundagem", estou retomando as postagens.

Vou dar uma mexida no leyaut, também.

Obrigado pela compreenção

Mario Rangel geógrafo.