sexta-feira, 15 de julho de 2011

Economia americana: acendeu o sinal de alerta.


Desde o "estouro da bolha imobiliária" em 2008 nos Estados Unidos, o mundo ocidental capitalista perdeu o rumo. De lá para cá, os reflexos da crise que se abateu no mercado imobiliário norteamericano, se espalharam pelo mundo, principalmente na Europa e com respingos para todo o lado.

A maior(?) economia do planeta, agora, amarga uma dívida monstruosa que está dando dor de cabeça nos economistas e pecimismo nas pessoas que dependem de um emprego. Nos EUA, por exemplo, a oferta de novos postos de trabalho é quase nula e não acompanha sequer o crescimento vegetativo da população econômicamente ativa.

Mas não é só isso...

Mais um alerta sobre a dívida dos Estados Unidos (leia AQUI) foi emitido na noite de ontem. Após a Moody's ameaçar rebaixar a nota de risco dos EUA, é a vez da agência de classificação de risco Standard & Poor's colocar a nota "AAA" de crédito dos Estados Unidos em revisão com implicações negativas, o que indica uma possibilidade substancial de que pode tomar uma decisão dentro dos próximos 90 dias.

Um dia antes, a Moody's colocou a nota dos títulos norte-americanos - atualmente em Aaa, a classificação máxima - em revisão para possível rebaixamento, citando como motivo a possibilidade de o limite de endividamento do governo federal dos EUA não ser elevado em momento oportuno e, dessa forma, poder levar o país a declarar default em suas obrigações de dívidas.

Acendeu o amarelo...

Será que Obama e os democratas conseguirão ampliar o teto da dívida, que já está no limite?

Um comentário:

Bruno T. disse...

Essa é a deixa para a ascensão da China