segunda-feira, 18 de agosto de 2008

Quanta intolerância - querem decretar o fim da miséria


Tantos problemas enfrenta nossa "mui leal e valorosa" e a Zero Hora, em uma matéria(?) intitulada, Como se fossem os donos da rua, insiste em criminalizar a miséria que assistimos nas esquinas da cidade. Não posso aceitar, de maneira alguma, os motivos que esse "jornaleco", panfleto do clã Sirotzky, emprega para impor a sua visão (cega) de sociedade. Ao invés de tratar como bandidos e criminosos, as pessoas que se amontoam sob as marquises, deveriam analisar e combater as suas causas.

A sociedade excludente, não trata seus membros desfavorecidos de forma minimamente humana. Os "perdedores" não merecem sequer ter a rua como moradia pois, conforme o panfleto das margens do Dilúvio, eles constrangem as pessoas que passam com seus "carrões" pelos locais onde se reúnem, na sobrevivência diária, incerta.

Mais uma pseudo-matéria desse jornalzinho preconceituoso, tem o claro objetivo de, subjetivamente, formar um consenso no seu público que, "essa" gente, tem de ser banida das ruas.

Ora, isso é de uma insensibilidade incomensurável dos empregados do seu Maurício ou, quem sabe, sejam obrigados a fazer o trabalho sujo do seu patrão.

De qualquer maneira está lá nas suas páginas, para quem quiser ver:

A intolerância.

Mas isso não é exclusividade da ZH. O Correio do Povo, do Bispo(?) Edir Macedo, também está nessa cruzada. Fizeram uma "pesquisa" (leia aqui) que constatou a necessidade de, o próximo prefeito(a), liberar as ruas desse "lixo" humano.

4 comentários:

mariorangelgeografo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

Olha só, o querido professor colocando em prática os ensinamentos da repressão ditatorial da livre expressão do pensamento. Que lindo!!!

Professor, eu imagino que se você faz isso em seu blog, o que será que você faz com um aluno que não "corresponde" com seus ideais.

Mario disse...

Obrigado pelo contato...

Se você não se identificar, não mais vai entrar.

Não seja covarde. Mostre-se!

Sua ironia de "querido professor" não cola. Isso aqui não é uma sala de aula.

Você não é meu aluno.

É um desconhecido afim de se divertir.

Anônimo disse...

Anônimo das 10:40

Por que não comentas nos sites do Políbio, Mendesky, Diego Casagrande, Mainardi, Reinaldo, Simões Pires, entre tantos.

Lá encontrarás pessoas boas, como tu.

Vai lá