terça-feira, 19 de agosto de 2008

A luta contra a fome: Bolsa Família, uma arma eficaz



E por falar em pobreza, no início de agosto, foi publicado um estudo onde mostra que pobreza continua a diminuir no Brasil, tendo que atingir, este ano, 24,1%, enquanto a classe média já representa 52% da população ativa.

Segundo um estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada - IPEA, a taxa de pobreza, que era de 35%, em 2003, continua a tendência e deve baixar até o fim deste ano para 24,1%.
Segundo o estudo, cerca de quatro milhões de pessoas superaram a linha da pobreza entre 2002 e 2008 nas seis cidades estudadas e ingressaram na classe média emergente.

O organismo estatal atribuiu a redução da pobreza ao crescimento da economia (5,4 por cento no ano passado), ao aumento do emprego e aos programas sociais (Bolsa Família) lançados por Luiz Inácio Lula da Silva desde que assumiu a Presidência, em 2003.

Os programas distribuem subsídios a cerca de 11 milhões de famílias pobres para ajudá-las a melhorar o seu rendimento. O estudo considerou como estando abaixo da linha da pobreza as pessoas com um rendimento 'per capita' igual ou inferior a meio salário mínimo, ou seja, 207,50 reais.

Mesmo assim, ainda há no Brasil, mais de 11 milhões de indigentes (6,6% da população), que sobrevivem com valores mensais inferiores a um quarto do salário mínimo.

Por potro lado, quando se fala do Bolsa Família, como sendo um programa "assistencialista", onde as pessoas que recebem o benefício se "acomodariam", o PNUD (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento) desenvolveu uma pesquisa mostra que o Bolsa Família funciona como um microcrédito e estimula a procura por um emprego. Ou seja, segundo o PNUD, os beneficiados pelo Bolsa Família não deixam de procurar emprego por causa da renda extra que o programa oferece Leia aqui.

E mais, pessoas que são beneficiadas pelo programa, ao conquistarem um emprego, pedem o cancelamento do cartão espontaneamente. Em outra pesquisa, desta vez realizada pelo Instituto Brasileiro de Análise Social e Econômicas (Ibase), no ano passado, demonstrou que 87% dos beneficiários do programa Bolsa Família gastam o dinheiro do benefício, principalmente, com alimentação leia aqui.

Independente de "Capitalismos" e "Socialismos", o que importa é melhorar a vida das pessoas, e os governos, têm a obrigação de fazer TUDO para que isso ocorra.

Estamos no século XXI.


Não podemos ser coniventes com a barbárie.

4 comentários:

Anônimo disse...

Será que estou incomodando? Puxa professor, até outro post seu o senhor excluiu. Seria uma tentativa de esconder as verdades que eu começo a trazer aos leitores do seu blog?

E todos sabem que o governo Lula é especialmente eficaz na criação de mentiras e falácias. O Bolsa Família, mais conhecido pelos cidadãos honrados e honestos deste país como "Bolsa Voto", não diminuiu a pobreza, porque a pobreza não é só uma questão financeira, é uma questão social e intelectual. A pobreza não diminuiu, não aumentaram ofertas de emprego, pois bem sabemos que o número de desemprego aumentou exorbitantemente. Basta acompanhar as filas nas agências de empregos de todo o país.

Portanto caro professor, deixe de querer afundar o país com o Socialismo, ou se preferir, Fidel lhe aguarda ansiosamente.

Anônimo disse...

Acho que o anônimo aí de cima comeu cocô.

Quais verdades mesmo?

"cidadãos honrados e honestos"?

Você anda por TODO o País?

Ou você está falando do RS, da bruxa Yeda, que cresce que nem cola de cavalo, prá baixo...

Vá se informar, não na ZH ou Veja, onde certamente te informa.

Anônimo disse...

Ao outro anônimo, eu vejo o RS de fora e de dentro. E sim, eu ando por todo o país, pois eu trabalho, sabe, aquilo que pessoas como vocês odeiam?

Eu me informo sim, com excelentes fontes e não são as mesmas suas fontes como as suas, totalmente parciais e imprecisas, mas para vocês, isso é que é ser imparcial, defender apenas o de vocês.

Sim, eu faço parte da população honesta e honrada. Ao contrário daquilo que vocês defendem.

Carlos disse...

O cara aí de cima não é nada modesto:

"honesto honrado" isso melembra que tem de repetir para se convencer.

E mais, ladrão também diz que trabalha...