segunda-feira, 11 de junho de 2012

Crise do Euro: Vão "ajudar" os bancos espanhóis... mas, e as pessoas?


A Espanha disse no sábado (leia AQUI) que pedirá à Europa ajuda financeira para seus bancos em dificuldades, um passo que poderá torná-la a quarta e maior economia da zona do euro a pedir ajuda de seus parceiros da bloco.

O pedido de ajuda da Espanha envia um sinal positivo para os mercados financeiros. As bolsas na Europa sobem na manhã de hoje. Às 7h50, a Bolsa de Madri subia 2,59%, Frankfurt,1,96%, Paris, 1,67%, e Londres, 0,98%.

“É bom que nós sabemos agora que um pedido de ajuda (da Espanha) está em seu caminho”, afirmou Steffen Seibert, porta-voz da chanceler alemã Angela Merkel.

Os países da zona do euro (leia AQUI) ajudarão a Espanha com um empréstimo de até € 100 bilhões de (cerca de R$ 251,5 bilhões) para a recapitalização do setor bancário do país. Mas o governo do país faz questão de dizer que não se trata de um pacote de resgate, como os que receberam Grécia, Irlanda e Portugal, mas um empréstimo.

O problema financeiro da Espanha e de resto, da Europa, não dá mostras de que está perto de seu final. Ao contrário, a crise que eu digo, é do capitalismo globalizado, tende a se agravar e se espalhar, afetando a, quem sabe, todos os países do mundo pois, a globalização, iniciada em meados dos anos 90, integrou todos os mercados, que se tornaram dependentes uns dos outros.

No caso da Espanha, que amarga uma taxa de desemprego de 25% (leia AQUI) tem é que "ajudar" as pessoas. Os bancos fizeram o que sabem (ou pensam que sabem), especularam e se ferraram.

Infelizmente, para o "deus mercado", as pessoas são meros números de contas bancárias, seus dramas, não importam nada...

Um comentário:

Antônio Carlos Vieira disse...

É bem provável que os bancos que estão emprestando o dinheiro para o Governo Espanhol socorrer os bancos sejam acionistas destes bancos. Seria uma ironia os bancos emprestarem dinheiro para ajudar bancos que eles são acionistas!!!!! Todo mundo sabe que os bancos privados do Brasil tem muitos acionistas que são outros bancos que atuam em vários países aos mesmo tempo. Provavelmente pode está ocorrendo a mesma coisa na Espanha!!!!