quarta-feira, 20 de abril de 2011

A ex-desgovernadora Yeda Crusius sofre derrota acachapante em eleição do diretório do PSDB gaúcho

Longe do poder, a ex-desgovernadora Yeda Crusius sofreu uma pesada derrota política e ficou isolada no PSDB do Rio Grande do Sul. (leia AQUI)

A chapa dela teve só 9% dos votos na eleição interna (32 votos em 333) nesta semana e o grupo da ex-desgovernadora ficará fora da composição do diretório no Estado.

O novo presidente do PSDB-RS é o deputado federal Nelson Marchezan Júnior, adversário interno de Yeda.

O resultado reduz a margem para uma nova candidatura de Yeda, à Prefeitura de Porto Alegre, em 2012 e torna incerto o seu futuro político.

Yeda não participou diretamente da chapa, que tinha como candidato a presidente Carlos Callegaro. Economista, Yeda informou que pretende se dedicar a grupos de estudo do cenário nacional e que quer escrever sua versão sobre a crise política que abalou seu governo (2007-2010).

Em 2009, ainda no cargo, Yeda chegou a ser denunciada pela Procuradoria como suspeita de improbidade administrativa no escândalo do desvio de R$ 44 milhões do Detran no Estado.

A Justiça excluiu a então governadora do processo por considerar que ela possuía foro privilegiado.

A ex-desgovernadora sempre negou as acusações de envolvimento com a fraude e responsabilizou a oposição liderada pelo PT do atual governador Tarso Genro de promover uma campanha para desestabilizar seu governo. 

Um comentário:

Eugenio Hansen, OFS disse...

Paz, bem e feliz Páscoa!

Acho que os tucanos gaúchos
têm esperança de que
se chutarem a Yeda
o povo esquece
que ela foi governadora do PSDB.